Impostos sobre robôs, qual a sua opinião?

Impostos sobre robôs, qual a sua opinião?

março 22, 2021 Off Por Agência Kalima

A tecnologia tem avançado para um ponto em que os robôs ocupam cada vez mais setores de trabalho. Isso despertou uma discussão acerca da cobrança ou não de impostos sobre robôs. Mas e aí, qual é a sua opinião?

Bill Gates é um dos nomes mais importantes do cenário da tecnologia. É fundador, junto de Paul Allen, da Microsoft, gigante no setor. Por meio dele surgiu o debate que, embora para muitos seja uma sugestão inverossímil, aparente ser uma posição firme do magnata.

Por que cobrar impostos sobre robôs?

A justificativa principal seria a de que com o aparecimento de robôs, muitas pessoas poderiam perder seus empregos.

De fato, eles já ocupam uma parte satisfatória da produção industrial. Muitos trabalhos já não são executados por mãos humanas. Sendo assim, a tendência é essa: qualquer trabalho que possua capacidade de automação poderá ser feito por um robô futuramente.

Logo, na visão de Gates e de outras pessoas que defendem a idéia, é o pagamento de impostos sobre robôs como uma forma de compensação monetária.

Assim, as pessoas que tinham funções cuja permanência foi afetada por robôs naquele setor trabalhista seriam treinadas para adquirir novas habilidades e encontrar outros empregos.

Estabelecer cobranças com base nas externalidades negativas que uma determinada atividade gera não é nada novo.

O cigarro e as bebidas alcoólicas, por exemplo, geram custos bem altos para a saúde pública por conta de doenças que acabam causando. Assim, o valor dos impostos é utilizados para cobrir o custo de manutenção desses serviços.

Não é tão simples assim

Porém, a discussão é mais profunda. Isso porque os robôs não se tratam de uma mercadoria em si, mas sim de um investimento.

Os robôs são uma alternativa de potencializar a produtividade e eficiência. Por meio da automação, podem levar os diversos tipos de promoção a um nível ainda não visto.

Sendo assim, cobrar impostos sobre robôs serviria como um desincentivo a esse tipo de tecnologia. Mesmo que, aparentemente, seja razoável que muitas iniciativas venham apoiá-la.

Logo, não faria tanto sentido taxar esse tipo de recurso com impostos, na visão de quem apoia essa tecnologia. Seria necessário encontrar, de acordo com essa visão, outra forma de lidar com as consequências negativas dessa implantação no ramo trabalhista.

Mas e aí, o que você acha? Em futuro próximo será razoável cobrar impostos sobre robôs? É necessário ou uma falta de incentivo a tecnologias que podem melhorar a produção? Dê sua opinião!